Cuidados com a saúde mental na terceira idade

Cuidar da saúde mental na terceira idade é tão importante quanto cuidar da saúde física. Os problemas mentais podem afetar também o corpo na forma de cansaço, falta de energia, entre outros sintomas, além de provocar transtornos psicológicos como a depressão e a ansiedade. Então, o melhor a se fazer é praticar atividades que promovam a saúde mental do idoso.

Uma das formas de se fazer isso é incentivando a pessoa a ter hobbies. Se ela gosta de tocar algum instrumento, ler, tricotar, dançar, incentive essa prática no dia a dia dela. Por meio dessas atividades é possível ainda criar um laço mais forte entre o idoso e seus familiares.

Ter uma boa noite de sono é fundamental para a saúde da pessoa na terceira idade. É necessária uma quantidade de tempo suficiente para recuperar as forças do organismo e acordar bem disposto no dia seguinte, bem como prevenir algumas doenças. Se for preciso, procure profissionais da área para auxiliar na redução de qualquer mal estar que impeça o repouso noturno do idoso.

A solidão é um dos grandes problemas enfrentados pelos idosos, ainda mais em tempos de pandemia e isolamento social. Por isso, é importante estar presente, conversar e ser um bom ouvinte. Em casos de longas distâncias, aproveite os recursos que a tecnologia oferece para mandar mensagens, ligações e chamadas de vídeo. Caso seja possível, reúna a família para proporcionar momentos de amor e carinho para o idoso.

O acompanhamento psicológico é essencial. Ela traz vários benefícios, desde o estímulo de capacidades cognitivas até a prevenção ou tratamento de doenças como a depressão. Hoje é possível, inclusive, fazer terapia de forma online.

E fique atento aos indícios de que a saúde mental do idoso não está normal, tais como: irritabilidade, afastamento, choros e desânimos frequentes, falta de vontade e energia para fazer as atividades do cotidiano, mau humor, atitudes grosseiras e até agressivas, e recusa de se levantar da cama.

Relação Cintura/Quadril e Saúde Cardiovascular

A Antropometria é a medida das dimensões corpóreas. As medidas antropométricas auxiliam o nutricionista no diagnóstico do estado nutricional do indivíduo e colabora para o rastreamento dos fatores de risco das doenças crônicas, principalmente as relacionadas ao sistema cardiovascular.

A Organização Mundial de Saúde indica o uso da antropometria para a vigilância dos fatores de risco das doenças crônicas. Além do peso e da altura, recomenda a medida da cintura e do quadril como forma de avaliar a deposição da gordura abdominal. Esses parâmetros antropométricos têm a vantagem de apresentar fácil mensuração e obtenção a baixo custo, podendo ser utilizados tanto na saúde pública quanto na clínica.

Muitos estudos já apontaram a relação Cintura/Quadril como a medida com melhor capacidade preditiva de hipertensão arterial, o que evidencia a importância de sua utilização na discriminação de indivíduos em risco de doenças crônicas, como a hipertensão arterial.

Mas porque considerar a medida do abdômen/cintura?

Diferente da gordura subcutânea (que é a gordura abaixo da pele), a gordura visceral está localizada atrás dos músculos, acomodada junto aos órgãos abdominais, tem aparência de “gordura dura” como se fosse uma bola. Caracteriza a obesidade em formato de “maçã”. Conhecida como a “barriga de cerveja”, embora presente até mesmo em quem não use bebida alcoólica.

É um tipo de gordura mais frequente em homens do que em mulheres, por conta das condições hormonais. São células maiores, que se multiplicam pouco, mas são mais ativas e afetam o metabolismo. É um tipo de gordura que afeta negativamente a saúde, pois além de aumentar inflamação nos órgãos ela ainda reduz a quantidade de um hormônio (adiponectina) essencial para a queima de gordura e que acelera o metabolismo.

Portanto, esse tipo de gordura está associado ao aumento de doenças cardiovasculares, aumento da insulina e da glicemia, hipertensão e síndrome metabólica. Por isso que seu excesso é um fator de risco ainda maior do que a gordura subcutânea. 

Esta gordura visceral vem de um aumento gradativo e em decorrência de hábitos de vida inadequados como sedentarismo, alimentação com excessos, álcool e cigarro. Portanto, para se reverter este quadro mudanças são necessárias.

DANIELA GENARO PULZATTO VERDINASSE

NUTRICIONISTA

CRN3 35.534

Fisioterapia melhora a qualidade de vida e o bem-estar

Essa data tem o intuito de chamar a atenção da população para a conscientização dos cuidados com as doenças cardiovasculares que afetam o coração e os vasos sanguíneos. Destacando-se a doença arterial coronariana, que envolve dor no peito e o infarto agudo do miocárdio, sendo essa a maior causa de mortalidade no mundo.

Os principais fatores de risco para os eventos cardiovasculares são: hipertensão, diabetes, níveis elevados de gordura no sangue (dislipidemia), histórico familiar, estresse, tabagismo, obesidade, sedentarismo e doenças da tireoide. Os indivíduos devem procurar o médico cardiologista, objetivando a identificação de quaisquer sinais e sintomas.

A prevenção de doenças cardiovasculares começa com pequenas mudanças em hábitos diários como monitoramento regular da diabetes e interrupção do tabagismo. Além disso, a prática de atividades físicas é fundamental para a redução do agravamento das doenças.

O fisioterapeuta é um promotor de saúde.  É um profissional que possui formação e conhecimento das doenças que podem levar a complicações de problemas cardíacos, ou seja, o paciente que possui histórico de tais patologias precisa de um acompanhamento fisioterapêutico com o intuito de evitar futuras complicações.

No Abrigo Vó Tereza é realizado o tratamento fisioterápico como exercícios específicos, atividades para prevenção do tratamento de doenças cardiovasculares, caminhadas pela Instituição a fim de evitar perda da força muscular, melhora da capacidade funcional, redução de fatores de risco, redução de sintomas, dentre outros.

No primeiro momento é realizada uma anamnese da idosa a fim de identificar suas limitações e capacidades funcionais, para o desenvolvimento de um plano de tratamento ideal. Os exercícios definidos seguem critérios de forma segura e eficiente.

A fisioterapia é de extrema importância para todas as idosas que tenham ou não doença cardiovascular, como também em casos onde elas necessitem passar por algum procedimento cirúrgico, trabalhando de maneira prévia para evitar intercorrências como trombose, parada cardíaca dentre outras complicações.

Entre os benefícios da fisioterapia para a reabilitação cardíaca, está principalmente a diminuição das internações hospitalares e a redução de agravamento.  

Outro benefício da fisioterapia são a melhora da qualidade de vida e o bem estar.

Como as emoções afetam o coração?

Diz um Provérbio Chinês: “A gente todos os dias arruma os cabelos: por que não o coração?”.

Historicamente se diz que no coração está a origem do amor, da coragem, da bravura e que pessoas boas têm coração enorme, e as ruins nem coração têm. Porém, hoje sabemos que o cérebro é a base de todo comportamento humano, origem de todos sentimentos, pensamentos e emoções. Entretanto, as experiências, quando geram muita emoção, afetam diretamente o coração.

No dia a dia a carga das emoções negativas estimula a produção de adrenalina que, por sua vez, pode afetar o coração de várias maneiras.

Mas vamos entrar nos fatores psicológicos e emocionais que afetam a saúde do coração? Estados mentais negativos, depressão, ansiedade, solidão, raiva e estresse crônico. Eles podem aumentar o risco de doenças cardíacas ao longo do tempo ou piorar os problemas cardíacos que já existem.

Nós aqui do Abrigo Vó Tereza ficamos atentos aos sinais de possíveis novos problemas com a saúde mental, e incluímos alguns cuidados na rotina que fazem toda diferença na vida diária de nossas idosas.

Essas ações preventivas podem parecer simples, mas são fundamentais no combate de várias doenças que afetam o coração, bem como contribuem para manter o bem-estar emocional de nossas idosas.

Temos diariamente aqui no abrigo oficinas de estimulação cognitiva com o objetivo de aprimorar, desenvolver e prevenir a perda da capacidade de memória, outras funções cognitivas e raciocínio.

As atividades de recreação realizadas trazem benefícios, dos quais destacam-se: distração, descanso, reflexão sobre a realidade, imaginação, criatividade, atenuação do estresse, renovação de energias.

E, assim, os corações de nossas idosas agradecem!

O que é Alzheimer e como prevenir-se dele

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa progressiva, que se manifesta pela deterioração cognitiva da memória, comprometimento progressivo das atividades diárias e alteração de comportamento.

É a forma mais comum de demência neurodegenerativa em idosos, sendo responsável por mais de metade dos casos de demência nessa população.

A causa do Alzheimer ainda é desconhecida, porém, acredita-se que ela seja geneticamente determinada. Um dos primeiros sintomas é a perda da memória recente.

Com seu agravamento, vão surgindo outros: perda da memória de acontecimentos mais antigos, irritabilidade, falhas na linguagem e dificuldades em se orientar no tempo e no espaço.

O tratamento precoce é fundamental para o alívio dos sintomas e estabilização ou retardo do surgimento da doença. Ele é feito por meio de medicamentos. Pacientes com Alzheimer são atendidos por médicos geriatras, psiquiatras ou neurologistas especializados.

PREVENÇÃO

Embora não se saiba as causas da doença e ela seja incurável no momento, médicos acreditam que algumas práticas podem retardar ou até mesmo inibir o aparecimento do Alzheimer.

Uma delas é manter a mente ativa por meio de leituras, estudos e momentos para somente pensar. Também são muito válidos exercícios de aritmética e jogos que estimulem a inteligência.

Além disso, é bom ter uma vida social e praticar atividades em grupo, bem como manter bons hábitos e estilo de vida saudável, evitando bebidas alcoólicas, cigarro, praticar exercícios regularmente e ter alimentação equilibrada e regrada.

Fisioterapia Respiratória: o que é e como fazer

A fisioterapia respiratória consiste em técnicas e exercícios que servem para prevenir e tratar praticamente todas as doenças respiratórias, como bronquite, asma, tuberculose, entre outras.

Ela deve ser realizada com o acompanhamento de um profissional especializado nessa área e pode ser feita em casa, no trabalho, clínicas, hospital e até mesmo na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Essas atividades mobilizam os músculos respiratórios, melhoram a respiração, o fornecimento de oxigênio para o corpo todo e libera as vias respiratórias das secreções. Além disso, a fisioterapia respiratória diminui a falta de ar e a ansiedade.

Um dos exercícios consiste em ficar deitado em uma superfície inclinada, onde pernas e pés permanecem mais elevados do que o tronco, ajudando a eliminar secreções.

Outra técnica é ficar de pé, colocar as mãos à frente do corpo e, ao inspirar pelo nariz, abrir os braços horizontalmente. Em seguida, colocá-los novamente à frente do corpo enquanto expira o ar lentamente pela boca.

A pessoa também pode se sentar em uma cadeira e segurar uma bola ou bastão à frente do corpo. Ao inspirar, elevar a bola acima da cabeça. Depois, trazer os braços com a bola ao centro do corpo enquanto expira.

O ideal é repetir esses exercícios cerca de cinco a dez vezes. É importante fazê-los devagar, sem pressa. O fisioterapeuta pode recomendar as atividades mais adequadas ao paciente, de acordo com suas necessidades.

10 hábitos para chegar aos 80 anos com saúde

Buscar a longevidade é algo importante, porém, não basta apenas ter muitos anos de vida. É preciso ter uma vida longa com qualidade. Por isso, separamos aqui 10 hábitos para você chegar bem aos 80 anos. Confira:

1 – Praticar exercícios pelo menos 3 vezes por semana

A prática regular de exercícios físicos é uma forma de retardar o envelhecimento e ajuda na prevenção das doenças comuns na terceira idade, como as cardíacas, diabetes e osteoporose.

2 – Dormir bem

Uma noite ruim de sono pode afetar o bom funcionamento do metabolismo e acelera o declínio cognitivo. São necessárias, pelo menos, oito horas de sono por dia para manter a saúde.

3 – Alimentação saudável

Prefira sempre alimentos mais saudáveis, como grãos, hortaliças e ricos em ômega 3. Eles ajudam a prevenir, entre outras coisas, a perda de memória, algo comum entre os idosos com o passar dos anos.

4 – Não fume e evite bebidas alcóolicas

Esses dois hábitos nocivos aumentam as chances de desenvolvimento de várias doenças: pressão alta, diabetes, problemas neurológicos e pulmonares. Para ter uma vida mais saudável e longeva, evitar o tabagismo é fundamental.

5 – Faça check-ups regularmente

O velho ditado é verdadeiro: prevenir é melhor do que remediar. É importante se manter atualizado sobre seu estado de saúde. O diagnóstico precoce de doenças reduz o tempo de tratamento e o torna menos incisivo.

6 – Fuja do estresse

O estresse desencadeia diversos problemas de saúde tanto físicos, quanto mentais, que aceleram o envelhecimento e provocam morte prematura. Por isso, é importante buscar atividades relaxantes, como a meditação.

7 – Mantenha a vacinação em dia

As vacinas são a melhor forma de prevenir doenças e ter uma vida longa. Fique atento à sua carteirinha, às campanhas de vacinação e quais vacinas são necessárias para sua idade. Preste atenção também ao calendário de vacinação da covid-19.

8 – Beba água

A água é muito importante para o nosso organismo. Ela regula a temperatura corporal, elimina toxinas e transporta nutrientes para as células do corpo. Além de beber água, é possível se manter hidratado por meio de alimentos saudáveis, como frutas.

9 – Tenha uma vida social ativa

A ciência aponta atualmente que a solidão e o isolamento colaboram para doenças físicas e mentais, entre elas, a depressão. Hoje, o contato com os amigos e familiares diminuiu, por conta das medidas contra a covid-19. Porém, é importante conversar com eles por outros meios, pelas redes sociais, WhatsApp e vídeo-chamadas, por exemplo.

10 – Tenha um propósito de vida

A ciência comprova que ter um motivo para acordar todos os dias é um grande passo para se ter uma vida longeva. Isso acontece porque quem tem um propósito de vida costuma ser mais feliz e ter maior controle sobre suas emoções.

ALIMENTAÇÃO E O DIABETES NA TERCEIRA IDADE

O Dia Mundial do Diabetes é celebrado no dia 14 de novembro em homenagem ao aniversário do Dr. Frederick Banting que descobriu a insulina em 1921, juntamente com seu assistente, o estudante Charles Best.

A data foi criada em 1991 pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) junto à Organização Mundial de Saúde (OMS), para conscientizar o mundo inteiro sobre os problemas associados à doença: alta mortalidade por doenças cardiovasculares (infartos e insuficiência cardíaca), AVC (derrame), complicações específicas da doença, como insuficiência renal, perda da visão, alteração de sensibilidade nos membros inferiores e consequentes úlceras e amputações.

Mas o que é o diabetes?

Primeiro devemos saber que existem dois tipos de diabetes. O tipo 1 é geralmente descoberto na primeira infância ou adolescência e é classificada como doença autoimune. É tratado sempre com insulina, medicamentos, adequação da alimentação e atividades físicas. E o tipo 2, que corresponde a 90% dos casos, aparece comumente na vida adulta e na terceira idade, é quando o organismo não consegue produzir a quantidade adequada de insulina ou as células apresentam resistência à este hormônio. Dependendo da gravidade do caso, apenas alimentação e atividade física já ajudam a controlar os níveis de glicose.

O tipo 2 pode ser evitado com controle adequado do peso, conseguido com um estilo de vida saudável, incluindo atividades físicas na rotina com regularidade e alimentando-se bem. Na terceira idade, devemos ter ainda mais atenção com a alimentação, devendo ser rica em frutas, verduras, legumes e fibras – contendo alimentos integrais como pães, aveia e massas, e baixa ingestão de alimentos gordurosos como frituras, por exemplo. O consumo excessivo de açúcares como refrigerantes, bolos, sorvetes, sucos em pó, também deve ser evitado.

Aqui em nosso abrigo, a alimentação de nossas idosas conta de perto com acompanhamento nutricional para a elaboração do cardápio e preparo das refeições, em que cuidamos da quantidade de açúcar nas bebidas oferecidas como café e chás. Os sucos artificiais foram excluídos da dieta, sendo servidos apenas sucos preparados com polpa de fruta natural ou congelada, ou suco concentrado, sendo possível assim controlar a quantidade de açúcar. As frituras são oferecidas apenas algumas vezes no mês, e bebidas como os refrigerantes são servidos apenas aos finais de semana ou aniversários.

Frutas frescas são servidas em quase todas as refeições, oferecendo vitaminas e minerais. Verduras e legumes também fazem parte da rotina, fontes de fibras que auxiliam diretamente no controle da glicemia.

Cuidados simples do dia a dia podem fazer a diferença na sua saúde, principalmente daqueles que já passaram dos 60 anos. Cuide-se, e cuide de quem você ama!

Daniela Genaro Pulzatto Verdinasse
Nutricionista Responsável Técnico
CRN 35534
Abrigo Vó Tereza

Dia Internacional do Idoso, o que temos para comemorar?

E de repente nos vemos em meio a uma pandemia mundial, que mudou a nossa rotina, afetando a todos e, principalmente, as pessoas do grupo de risco, entre elas, o grupo acima de 60 anos. O mundo parou, as visitas cessaram, os passeios foram paralisados e as festas foram canceladas.

Aqui no Abrigo Vó Tereza nos adequamos a todas as diretrizes dos órgãos competentes: uso de EPIs, isolamento social, visitas por meio de vídeo e outros cuidados necessários para a prevenção. E com muita ação e, acima de tudo, com fé, oramos para que o vírus não chegasse à nossa instituição.

Dentro dessas fragilidades, como fazer os mais fragilizados entenderem que está proibido até mesmo um aperto de mão? Intensificamos e criamos novas estratégias através do lúdico para explicar a pandemia. Intensificamos a participação nas oficinas de artesanato, na oficina “Me conte sua história” e na oficina de leitura.

A fragilidade dos idosos, muitas vezes, é vista com preconceito, e uma publicação do dia 7 de junho no Portal do Envelhecimento aponta a desvalorização dos mais experientes:

“Apesar de a Declaração Universal dos Direitos Humanos reconhecer o direito à vida, à assistência médica e ao tratamento digno e igualitário ao longo da vida, durante o combate ao coronavírus o que observamos é uma discriminação cada vez maior às pessoas idosas, discriminadas pela idade e pela saúde, muitas inclusive se encontram desprotegidas em suas residências. A violência do olhar da sociedade para com os mais velhos se espalha nas redes sociais com vídeos mostrando idosos – muitos visivelmente em situação de grande fragilidade – como se fossem crianças, ou até em discursos de homens públicos e empresários anunciando a desvalorização da vida dos mais velhos.”.

E a nossa equipe do Abrigo Vó Tereza vai homenagear neste dia Universal do Idoso os que aqui estão lutando e comemorando a cada dia as conquistas, direitos, dignidade e a superação deste momento de incertezas que estamos vivenciando.

 “Ninguém envelhece apenas por viver vários anos. Nós envelhecemos abandonando nossos ideais. Os anos podem enrugar a pele, mas desistir do entusiasmo enruga a alma.” Samuel Ullman

Regina C.S. Marchetti

Assistente Social

 CRESS 58.340.